MPPB realiza mostra e premiação do 2° concurso de fotografia; diretora Social participa da entrega de troféus

52

O Ministério Público da Paraíba (MPPB) realizou, na manhã desta terça-feira (11), a mostra e a solenidade de premiação do “2° Concurso de Fotografia”, que este ano teve como tema “Direitos Humanos”, em comemoração aos 70 anos da Declaração Universal promulgada no dia 10 de dezembro de 1948, pela Organização das Nações Unidas (ONU). O concurso integra a programação da I Semana do MP, que está sendo organizada pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do MPPB (Ceaf), em comemoração ao dia nacional da instituição (14 de dezembro).

A solenidade foi aberta pelo procurador-geral de Justiça, Francisco Seráphico, que destacou a relevância do tema “direitos humanos” para a sociedade e para a democracia. Ele agradeceu aos parceiros (APMP, ASMP, Unipê, FCM e Unimed João Pessoa) e parabenizou todos os participantes pela qualidade técnica e pela sensibilidade das imagens e das legendas dos trabalhos inscritos, pois souberam captar a essência da temática proposta.

A diretora do Ceaf, a procuradora de Justiça, Vasti Cléa Lopes, falou da felicidade que foi ter participado da organização do concurso e ressaltou a dificuldade de escolha dos trabalhos pelo elevado nível técnico e estético. “As fotografias souberam registrar com grande sensibilidade a temática, tanto do ponto de vista da promoção como da violação dos direitos humanos”, destacou.

Os troféus foram entregues pelo PGJ, pela diretora do Ceaf, pelo secretário-geral do MPPB, Antônio Hortêncio Rocha Neto; pela coordenadora do Ceaf, promotora Cristiana Vasconcelos; pela diretora social da Associação Paraibana do Ministério Público (APMP), Ana Maria França; pelo presidente do Sindicato dos Servidores do MPPB, Daniel Guerra; e pelos representantes da Unimed, Paulo Roberto; do Unipê, Luiz Miranda; e pela professora da UFPB, Agda Aquino.

Premiados

O primeiro lugar da categoria ‘Profissional’ foi para a foto “Território Tabajara”, de Kleide Teixeira; o segundo lugar para a foto “Esperança”, de Marcus Antoninus e o terceiro lugar para a foto “Criança – direito à instrução”, de Leonardo Silva. Além de troféus e cheques simbólicos, eles ganharam prêmio em dinheiro no valor de R$ 3 mil, R$ 2 mil e R$ 1 mil, respectivamente.

Marcus Antonius falou em nome dos finalistas da categoria. Ele contou que o trabalho inscrito retrata uma criança que observava pela fresta de uma porta a chegada da energia elétrica na sua comunidade. Também reconheceu o merecimento do primeiro lugar para a foto de Kleide Teixeira (que não pôde comparecer à premiação), pela qualidade técnica e sobretudo, por chamar a atenção para a violação de direitos e para a necessidade de se proteger a existência e a cultura dos povos indígenas, “os verdadeiros donos deste país”, segundo ele.

Na categoria ‘Amador’, o primeiro lugar foi para a foto “Onde os fracos não têm vez”, de Ivone Beatriz; o segundo, para a foto “A infância e seus direitos”, de Matheus Filipi e o terceiro lugar para “A força da mulher sertaneja”, de João Dantas. Ivone agradeceu a oportunidade de participar do concurso, destacou a qualidade das demais fotos finalistas e falou que sua foto retrata a situação das pessoas encarceradas, um tema muito importante para ela e para a sociedade.

Catorze fotografias, sendo sete da categoria ‘profissional’ e sete da categoria ‘Amador’ também integraram a mostra fotográfica como finalistas e receberam troféus de ‘Menção Honrosa’.

Na categoria ‘Membro e Servidor’, receberam ‘Menção Honrosa’ as fotografias “Luzia sem Direitos”, do servidor Alan Anezio da Silva Lima; o trabalho “Liberdade religiosa também é um direito humano!”, da servidora Simone Silva de Araújo e a foto “Vida que fica, vida que vai”, da servidora Valuce Alencar Bezerra.

Na ocasião Valuce agradeceu a oportunidade de participar do concurso e destacou que a iniciativa desperta o sentimento de pertencimento nos integrantes do MPPB. Também falou da história da fotografia inscrita, que “eternizou” um momento lúdico e de felicidade vivido pelo pai dela, falecido há um ano.

A comissão julgadora do concurso foi composta pela procuradora de Justiça Vasti Cléa Lopes; pela promotora de Justiça, Cristiana Vasconcelos e pela professora de Fotografia da Universidade Federal da Paraíba (UFPB), Agda Aquino, e contou com o apoio da equipe de profissionais da Assessoria de Comunicação do MPPB.

Mostra

A mostra com os 23 trabalhos finalistas do concurso está exposta no hall da Procuradoria-Geral de Justiça, em João Pessoa. As fotografias também vão compor o calendário 2019 do MPPB.

Oitenta e nove fotografias foram inscritas nas três categorias (sendo 60 na categoria ‘Amador’; 26 na categoria ‘Profissional’ e três na categoria ‘Membro e Servidor’). Elas abordaram diversos direitos previstos na Declaração Universal dos Direitos Humanos e passarão a integrar o banco de imagens do MPPB, podendo ser usadas em peças e campanhas da instituição, com o devido crédito do autor, conforme previsto no edital do concurso.

Confira os nomes premiados, com seus respectivos trabalhos

Categoria Amador

1° lugar – “Onde os fracos não têm vez”, de Ivone Beatriz Cavalcanti da Silva;

2° lugar – “A infância e seus direitos”, de Matheus Filipi da Silva Diniz;

3° lugar – “A força da mulher sertaneja”, de João Dantas da Silva Neto

Menção Honrosa:

“Direito à vida digna”, de Andreza Clarinda Araújo do Amaral

“Tecendo Sonhos”, de Daiana Targino da Silva

“Sobre viver”, de Daniel Nery da Fonsêca Pinto

“Água de beber”, de Giselma Vieira Moreira Franco

“Liberdade”, de Roan Nascimento Santos

“Hortas Verticais para Ressocialização”, de Sérgio Siddiney Borges de Araújo

“Direito à Educação”, de Valéria Sinésio da Silva

Categoria Profissional

1° lugar – “Território Tabajara”, de Kleide Teixeira;

2° lugar – “Esperança”, de Marcus Antonius

3° lugar – “Criança – direito à instrução”, de Leonardo Silva

Menção Honrosa

“Não à pedofilia”, de Assuero Lima

“O Sertão é sem lugar”, de Diego Nóbrega

“Quilombola”, de Francisco França

“Meu direito de ir e vir”, de Isa Silveira

“Liberdade de pensamento, de consciência e de religião”, de Márcio Miranda

“Disputa desumana pelo lixo”, de Nalva Figueiredo

“A liberdade de ir, vir, ser e crer”, de Ricardo Puppe

Categoria Membro e Servidor

“Vida que fica, vida que vai”, da servidora Valuce Alencar Bezerra.

“Luzia sem Direitos”, do servidor Alan Anezio da Silva Lima;

“Liberdade religiosa também é um direito humano!”, da servidora Simone Silva de Araújo

Fonte: MPPB




Deixe uma resposta