Anne Emanuelle comenta a importância de participar do II Encontro do Movimento das Mulheres

34

Após ter vencido o sorteio da APMP, que custeava passagem e hospedagem para o II Encontro do Movimento das Mulheres do MP, que aconteceu em Belo Horizonte, a promotora de Justiça da 2ª Promotoria de Família e Sucessões da Capital, Anne Emanuelle Malheiros Costa y Plá Trevas, falou sobre a sua participação de outras promotoras do Ministério Público paraibano no evento e na importância deste debate para o parquet.

“A discussão trazida à tona pelo movimento é assaz importante para debater os cenários atuais de participação e representatividade das mulheres nas instituições e dentro do próprio Ministério Público, fomentando, a partir dos debates, medidas de equalização para a questão de gênero encontrada”, salientou a promotora Anne Emanuelle.

O encontro ocorreu nos dias 21 e 22 de setembro e teve o objetivo de unir esforços na formulação e implementação de ações voltadas à valorização da mulher nas instituições dos diversos ramos do Ministério Público.

Para aumentar a representatividade feminina e combater a desigualdade institucional no Ministério Público, promotoras e procuradoras criaram em abril o Movimento Nacional de Mulheres do Ministério Público, com o apoio de advogadas, defensoras públicas e juízas. O primeiro encontro foi em maio em São Paulo.

Desta vez, na programação do II Encontro aconteceram mesas de debates, palestras e grupos de discussão para tratar de espaços políticos institucionais e as razões de preterição das mulheres em cargos de chefia e direção, buscando perspectivas para o enfrentamento da questão da desigualdade de gênero nos MPs brasileiros.

“O evento também contou com a participação e exposição de representantes do MP do Chile e da República Dominicana que, igualmente, trouxeram ao debate o cenário atual de distribuição desses cargos entre homens e mulheres nas respectivas instituições. Foram apresentados estudos científicos e relatórios quantitativos e estatísticos sobre a participação das mulheres nos cargos de poder, não somente no contexto social geral, mas também especificamente em relação aos ramos e unidades do Ministério Público”, explicou.

Anne Emanuelle também contou que foram debatidos e votados encaminhamentos relativos à estruturação formal do movimento, com a definição da coordenação nacional e de comissões de representações de cada unidade do MP, bem assim detalhamento da carta de princípios do movimento: “Pela Paraíba, foram designadas representantes as promotoras de Justiça Rosa Cristina de Carvalho e Elaine Cristina Pereira de Alencar, que também participaram do II Encontro”. Além delas, também estiveram presentes Cristiana Ferreira Moreira Cabral de Vasconcellos e Rhomeika Maria de França Porto.




Deixe uma resposta